rua prof. hugo mielli, 338

presidente prudente, sp

vila charlotte | 19015-640

contato@escolaabertanogalpao.com

+55 18 3928 1285

Siga-nos nas redes sociais
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Cinza ícone do YouTube

associação escola aberta no galpão

A Associação Escola Aberta no Galpão, fundada em 26 de novembro de 2018, é uma associação civil de personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com atuação em base territorial nacional e com prazo indeterminado de duração.

Nutrimos o desejo de compartilhamento e construção do pensamento crítico sobre arquitetura e urbanismo, artes, cinema, geografia e as demais áreas que exercem um papel fundamental na apropriação e na transformação dos modos de vida nas cidades.

Com o objetivo na troca de experiências, na reflexão crítica e no aprendizado contínuo, o projeto escola aberta no galpão traz, à Presidente Prudente - SP,  palestras, seminários, oficinas, debates, intervenções e ações de assistência técnica, sempre junto de importantes nomes que, de maneira diversa, contribuirão com a formação crítica do público, cumprindo assim o galpão, a arquitetura e as suas áreas afins, a sua função social.

projeto foi idealizado em 2012 e organizado pelo grupoDEArquitetura.

 

A Diversidade é o que nos move.

O encontro com o outro é o que nos transforma.

equipe

​​

ousadia e espontaneidade

apresentação de Ciro Pirondi -  2018

No verão de 1830, ao regressar de Roma para Paris, Henri Labrouste arquiteto e construtor fundamental do século XIX , escrevia a seu irmão:

"—Que dizer da Escola ? Sua programação está chata, está mal organizada, os alunos carecem  de entusiasmo..."

Durante o mesmo verão, Labrousteabriu em seu próprio atelier, uma escola de projetos oposta aos princípios da Academia, na qual forma jovens progressistas da França.

Mais tarde inspiração para a ESA - Escola Especial de Arquitetura de Paris, existente até os dias atuais.

Ao pensar no Galpão e sua " Escola Livre" impossível não lembrar da "escola atelier" de Henri Labrouste.

Espontaneidade e a coragem de fazer um "blend" entre casa, escritório e escola" no mesmo espaço, sem dúvida merece apoio e reconhecimento.

Deste tipo de ousadia carecem nossas Academias e por isso estão frias e sombrias, com raras e dignas exceções.

É urgente intuir algo novo.

Talvez o Galpão possua este gérmen.

Fiquemos atentos.

Vida longa!!!

em busca da ilha desconhecida 

apresentação de Cristiana Pasquini - 2018 

      

Encarar o desafio de organizar uma Escola Livre me fez lembrar do diálogo entre o homem e o rei diante da porta das petições em um conto de Saramago: o conto da Ilha Desconhecida. 

 

No diálogo o homem pede um barco ao rei e, quando questionado pelos motivos do pedido ele responde:  “para ir à procura da ilha desconhecida", o rei, altivo, responde que já não há mais ilhas desconhecidas e que todas estão no mapa, e pergunta: “que ilha desconhecida é essa que queres encontrar?”, “Se eu te pudesse dizer, então não seria desconhecida“, responde o homem, seguro de que existem ainda ilhas à serem descobertas. 

 

Desafio nosso é a tarefa de encontrá-las! Como algo que se procura sem saber onde está, mas se sabe, ao certo que existe. A Escola Aberta tem esse desafio. Uma Escola Livre que possibilite a construção de uma ponte de tal forma à transitarmos em busca de conhecimento. Uma ilha conhecida capaz colaborar com a formação crítica de profissionais, de produzir discussão interdisciplinar e multidisciplinar e, acima de tudo, de construir cidades que cumpram o seu papel de serem palco da vivência humana, porque, segundo Artigas “ser arquiteto, meus jovens, é um privilégio que a sociedade nos dá.“

 

     

@pedrokok